3 melhores práticas de aplicação da governança clínica

Aplicar medidas efetivas para atingir a excelência nos cuidados clínicos é um dos focos de toda instituição de saúde. Nesse contexto, as organizações que aprimoram a gestão continuamente estão sempre um passo à frente da concorrência e costumam contar com a governança clínica como estratégia.

Você já ouviu falar sobre o conceito? Neste post, separamos tudo o que é preciso saber a respeito do sistema, sua importância, as melhores práticas no ramo e como aprimorá-lo em seu negócio.

Continue a leitura para descobrir como colocar sua instituição em um patamar mais elevado! Vamos lá?

O que é governança clínica?

Trata-se de um sistema no qual as organizações de saúde têm a responsabilidade de buscarem pela melhoria contínua dos serviços oferecidos, o que garante um elevado padrão de atendimento. Criado pelo National Health System (NHS) — o sistema de saúde britânico —, esse conceito cresceu, se espalhou por todo o mundo e já está presente inclusive no Brasil.

Importância para uma boa gestão

A governança clínica engloba diversos setores de uma clínica ou hospital, desde a área de assistência até o administrativo. Essa gestão prioriza o uso de metodologias de monitoramento constante, assim como o treinamento e a orientação das equipes em cada fase do processo. O objetivo é fazer com que os cuidados oferecidos ao paciente atinjam a excelência.

Melhores práticas

A governança clínica é definida por alguns pilares, como:

  1. efetividade da intervenção clínica: a prática clínica deve ser apropriada e seguir evidências de efetividade, ou seja, é preciso considerar a eficiência e a segurança para o paciente e a sociedade acima de tudo;
  2. auditoria clínica: o acompanhamento do desempenho clínico por meio de auditorias, com base em indicadores de desempenho e na comparação de resultados, é fundamental ao controle da organização e à melhoria contínua;
  3. gestão de riscos: o ambiente hospitalar tem alguns riscos inerentes — entre eles, efeitos adversos, erros de medicação e infecções hospitalares. Controlar tais fatores é crucial para a segurança dos pacientes.

Como um software pode ajudar na governança clínica?

Embora seja um conceito simples, aplicar a governança clínica exige uma mudança cultural na sua empresa. Por isso, ter a tecnologia como aliada é algo muito importante. A adoção de um software de gestão permite solucionar problemas como perda de prontuários e administração incorreta de medicamentos, além de auxiliar na gestão de riscos em eventos adversos.

No setor de imagens, os recursos tecnológicos promovem um fluxo contínuo que garante a qualidade do diagnóstico. Além disso, o histórico de exames dos pacientes é acessado de forma muito mais fácil, o que favorece a comparação com dados anteriores e aumenta a precisão do diagnóstico.

A governança clínica tem o objetivo de assegurar o elevado padrão de qualidade dos serviços prestados por clínicas e hospitais. Logo, a tecnologia é uma aliada e tanto nesse processo, pois ajuda no controle, na avaliação e no desenvolvimento de práticas que melhoram o atendimento ao paciente e causam uma verdadeira transformação na realidade da saúde.

Gostou de descobrir o que é e qual a importância da governança clínica? Agora, que tal aprender um pouco mais sobre a Lei de Proteção de Dados em saúde? Não perca essa chance!