A tecnologia como aliada no armazenamento do histórico do paciente

Um dos maiores desafios de toda instituição de saúde brasileira é o armazenamento do histórico do paciente. Segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), prontuários, laudos e exames devem ser guardados por, no mínimo, 20 anos.

Esses documentos, fundamentais para as consultas médicas e que facilitam todo o processo de diagnóstico, possibilitam que os médicos tenham uma visão geral da saúde de cada paciente, como doenças prévias e tratamentos que já foram realizados.

No passado, o armazenamento do histórico era físico, o que demandava espaço e oferecia riscos de segurança e também da preservação das informações. Com o advento da tecnologia na área da saúde, tudo mudou. Agora, todos os dados estão muito mais seguros na nuvem.

Quer conhecer quais são os benefícios da tecnologia no armazenamento de dados clínicos? Neste artigo, separamos tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Continue a leitura e confira!

Armazenamento do histórico do paciente na nuvem
Armazenar dados clínicos por meio do cloud computing, um serviço que já se mostra muito popular entre os usuários da internet e empresas dos mais diversos segmentos, é uma tendência em ascensão na área da saúde.

Além disso, assim como no armazenamento físico, o realizado nos meios digitais também deve seguir as regras do CFM, principalmente quanto ao tempo que o histórico precisa ficar guardado no local — o que não é um problema, visto que a nuvem não ocupa nenhum espaço no estabelecimento.

Leia também: Tecnologia na gestão hospitalar: veja as tendências para a área de TI

A seguir, separamos mais algumas vantagens de contar com essa tecnologia.

Vantagens desse tipo de armazenamento
O histórico pode ser acessado a qualquer momento
Ao optar pelo armazenamento do histórico do paciente na nuvem, todos os dados ficam disponíveis a qualquer tempo e local, por meio de um smartphone, tablet ou computador, desde que quem esteja tentando acessá-los tenha permissão para isso, ou seja, login e senha. Assim, médicos têm maior comodidade para acessar esses dados e prestam um melhor atendimento ao paciente.

Além disso, com a grande quantidade de informações no sistema, relatórios periódicos podem ser gerados sobre doenças mais comuns em determinado período do ano, por exemplo, o que possibilita o cruzamento de dados e facilita o processo de diagnóstico e tratamento.

Os custos são reduzidos
O armazenamento virtual contribui para reduzir custos no negócio, especialmente devido à retirada de espaço físico que antes era voltado para guardar os documentos e de colaboradores responsáveis pela organização e manutenção de todos os arquivos, hardwares e softwares.

Na nuvem, a manutenção é feita pela própria plataforma, ou seja, você não precisa se preocupar com isso. Ademais, você paga apenas pelo espaço mínimo que utilizar — caso necessite de um armazenamento maior, então, é só solicitar.

A produtividade é elevada
Ter um armazenamento em nuvem faz parte de uma boa gestão. Além de otimizar todos os processos de um hospital ou clínica, ele também integra os diversos sistemas utilizados na plataforma, o que faz com que os serviços de informática sejam mais fáceis de utilizar e muito mais eficientes.

Gostou de descobrir mais sobre o armazenamento do histórico do paciente na nuvem? Como você pode ver, a tecnologia só tem a acrescentar na área da saúde. Portanto, não fique para trás — comece a utilizar esses recursos no seu negócio hoje mesmo!

Aliás, não esqueça também de nos seguir nas redes sociais — estamos no Facebook, Twitter, Linkedin e Instagram — e fique sempre por dentro de conteúdos interessantes como este!