Equipe multidisciplinar na saúde: entenda a importância

A formação da equipe multidisciplinar na saúde é uma estratégia que traz benefícios clínicos, humanísticos e econômicos para a instituição. Dessa forma, o atendimento torna-se efetivo, seguro e conveniente para o paciente.

Além disso, observa-se também redução de custos com procedimentos desnecessários, otimização na recuperação do paciente e aconselhamento objetivo pós-internação para minimizar possíveis complicações.

Quer entender a importância da equipe multidisciplinar na saúde? Então, não deixe de ler nosso post de hoje!

Afinal, o que é uma equipe multidisciplinar na saúde?

Trata-se de um grupo de profissionais clínicos que trabalham conjuntamente em prol do diagnóstico, tratamento e recuperação do paciente. Além disso, as decisões são tomadas em consenso conforme a contribuição de cada profissional.

A quantidade e a formação universitária de cada um variam conforme a demanda clínica, os recursos financeiros e o número de pacientes que serão assistidos e podem sofrer alterações de acordo com o funcionamento da instituição.

Normalmente, após a avaliação do paciente, a equipe se reúne e discute as principais estratégias de intervenção, considerando o risco para o paciente e as ferramentas terapêuticas disponíveis.

Leia também: Aprenda a fazer uma gestão de pacientes eficiente no consultório

Em geral, a equipe é composta por médicos de diversas especialidades, enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos, psicólogos, nutricionistas e, às vezes, pode contar com odontólogos, musicoterapeutas, etc.

Qual é a importância da equipe multidisciplinar na saúde?

Basicamente, a equipe de profissionais clínicos, trabalhando em suas respectivas áreas de formação, evitará o protagonismo de alguns especialistas, o que pode comprometer o prognóstico do paciente.

Isso, porque, quando um grupo de profissionais trabalha conjuntamente, a percepção de problemas clínicos é maior, pois cada um avalia objetiva e subjetivamente o paciente, abordando questões específicas de sua área de atuação.

Acontece que se esse processo for realizado por um número insuficiente de profissionais, alguns problemas ou distúrbios podem não ser detectados, impactando a recuperação do doente.

Esse é o caso de pacientes com transtornos respiratórios graves ou desnutridos que necessitam de aporte fisioterapêutico e nutricional específico para melhorar o prognóstico de sua condição clínica.

Como a equipe multidisciplinar impacta a gestão da instituição?

A formação de profissionais com conhecimento técnico contínuo e humanizado, que consigam trabalhar em equipe, é de grande valia para a gestão da instituição. Isso, porque, ao tomarem decisões únicas, favorecem a avaliação dos recursos disponíveis ou selecionam ferramentas inovadoras baseadas na telemedicina e nos laudos a distancia.

Ademais, para o processo decisório multidisciplinar, são levados em consideração os melhores níveis de evidência, tornando a intervenção com menor risco de complicações e consequentemente menos tempo de internação.

Além disso, ao analisar as opções disponíveis, a equipe selecionará a terapia de melhor custo-benefício, diminuindo o aporte financeiro com estratégias que não melhorarão significativamente a condição clínica do paciente.

Dessa forma, será possível fazer uma gestão eficiente de paciente, aumentar a produtividade das atividades clínicas, sem comprometer o processo assistencial, em um equilíbrio almejado por todas as instituições.

A formalização de uma equipe multidisciplinar na saúde é uma condição que traz benefícios significativos para os pacientes e a instituição. Ao tomar decisões mediante uma junta de profissionais alinhados entre si e atualizados em conhecimento, o paciente terá melhor recuperação e mais qualidade de vida. Ao passo que a instituição reduzirá tempo de internação, principalmente a relacionada a erros evitáveis e falta de diagnóstico de profissionais.

E você, já formou sua equipe multidisciplinar? Qual informação em saúde ainda necessita? Aproveite para saber também como aumentar a produtividade na gestão hospitalar.