Quais são os benefícios da incorporação tecnológica no diagnóstico por imagem?

Podemos dizer que o futuro que o século XX tanto sonhou, com máquinas inteligentes e autômatos realizando tarefas que, até então, precisavam ser feitas por humanos está cada vez mais próximo. São as tecnologias exponenciais que vêm chegando, ou seja, uma onda de novidades sem precedentes, capazes de revolucionar todos os setores da sociedade — e a saúde, certamente, não está fora dessa incorporação tecnológica.

Se os objetos eram ferramentas de trabalho, a pesquisa computacional tem se mostrado como verdadeira companheira de trabalho para os nossos profissionais. Microssensores capazes de monitorar os sinais vitais e enviar informações em tempo real, inteligência artificial auxiliando no diagnóstico e robôs participando de cirurgia são apenas alguns dos avanços que já existem. A tendência é que se tornem mais frequentes.

Quer saber como essa tecnologia será incorporada no diagnóstico por imagem? Neste post, indicaremos os benefícios de implementação. Continue conosco!

Mais eficiência

Um radiologista está sempre fazendo uso de sua memória e do bom senso para realizar um diagnóstico, mas, como todo ser humano, ele tem suas limitações. As máquinas, por outro lado, têm capacidade de retenção de informações virtualmente infinita – logo, vale a pena usar isso a seu favor.

Um bigdata de diagnósticos de imagem permite que o profissional tenha acesso às estatísticas, informações cruzadas de sintoma e doença e, até mesmo, receba auxílio do computador, que pode aprender a reconhecer padrões nas imagens e aplicá-los a novos casos.

Melhor visualização

A evolução das imagens digitais modificou a arte fotográfica e também sua utilização técnica. Os equipamentos radiológicos estão cada vez mais precisos, reduzindo ruídos e melhorando o contraste da imagem.

As medições também são mais automatizadas e novos materiais estão sendo desenvolvidos para telas de visualização. Além disso, o profissional pode trabalhar sem a interferência de artefatos de técnica.

Maior agilidade

O tempo de formulação da imagem está mais rápido, reduzindo a espera do paciente e aumentando a produtividade do profissional. Computadores conectados em rede, com um sistema integrado, permitem a transmissão de resultados de forma instantânea, dando ao médico responsável o acesso imediato ao laudo e a todo o histórico do paciente. O uso de imagens impressas e reveladas está com os dias contados.

Mais segurança

A incorporação tecnológica também passa pelo uso reduzido de substâncias tóxicas e radioativas, reduzindo a exposição de profissionais e pacientes a elas. A tendência é que técnicas, como a radiografia tradicional, tornem-se cada vez menos frequentes, sendo substituídas por outras de maior precisão e sem efeitos colaterais.

Menos custos

A tecnologia exponencial traz consigo a rápida substituição de novidades e o acúmulo de funções por um equipamento, além de uma eficiência até então inexistente. Se pensarmos que há duas décadas 1 gigabyte teve o preço equivalente ao que é hoje 1 terabyte, veremos que nosso acesso aos avanços científicos está realmente acelerado.

Os equipamentos da nova geração estão adquirindo a capacidade de automonitoramento, diagnosticando problemas mecânicos e identificando suas causas. O sistema recebe as informações e alerta os responsáveis, sendo possível, até mesmo, a manutenção antes que a falha aconteça. Isso reduzirá os custos e evitará transtornos, como máquinas estragando no horário de funcionamento.

Como você pôde ver, a incorporação tecnológica está melhorando, e muito, a forma como nossos centros de diagnóstico por imagem funcionam. As mudanças são positivas, mas é preciso ficar atento para não esperar demais e se tornar obsoleto perto da concorrência — se a tecnologia inova rapidamente, é importante que você faça o mesmo.

Que tal começar sua incorporação com um sistema integrado feito sob medida para a sua clínica? É só entrar em contato que estamos prontos para ajudar!