Cloud computing: conheça os impactos dessa tecnologia nos hospitais

Cloud computing (ou computação em nuvem) é uma tecnologia para armazenamento, gerenciamento e processamento de dados. Ao contar com esse recurso, um hospital tem todas as suas informações em um mesmo local — a nuvem —, que pode ser acessado pelos administradores, médicos e outros profissionais autorizados de qualquer lugar, inclusive por dispositivos móveis, como smartphones.

Dessa forma, o gestor tem um controle muito maior sobre todos os processos que envolvem a administração de um hospital. Além disso, os usuários precisam se preocupar apenas com a utilização do recurso, visto que a empresa que fornece o serviço é responsável pela parte técnica, como infraestrutura, manutenção e atualização do sistema.

Leia também: Os 5 erros mais comuns na administração hospitalar

Quer saber mais sobre a aplicação dessa tecnologia na área da saúde e como implementá-la em um hospital? Continue a leitura confira!

O que o cloud computing proporciona ao hospital?

A nuvem, assim como outras tecnologias da era moderna desenvolvidas para facilitar nossas vidas, é uma inovação irreversível. Ou seja: chegou para ficar e está ganhando cada vez mais espaço no mercado.

Para utilizá-la, basta que o cliente tenha acesso à Internet, onde o servidor fica hospedado. Esse fato torna a administração de dados algo muito mais prático, econômico e seguro para o negócio.

Na área da saúde, o cloud computing ganhou destaque especialmente após a implementação dos prontuários eletrônicos. Esses documentos armazenam todas as informações de um paciente, como histórico clínico, prescrições realizadas e resultados de exames.

Além disso, os estabelecimentos médicos podem contar com sistemas para arquivamento de imagens, como exames radiológicos, endoscópicos e ecográficos, controle de exames laboratoriais, gestão radiológica etc.

Compartilhamento de dados e redução de erros

A informatização hospitalar possibilita que os dados clínicos de um paciente sejam compartilhados entre os profissionais de maneira ágil. Isso facilita a tomada de decisão e a aplicação de um tratamento eficaz.

A centralização das informações permite o acompanhamento dos pacientes e do progresso de suas condições de saúde de maneira simples. Ao mesmo tempo, equívocos em diagnósticos podem ser detectados mais facilmente.

Na área administrativa, o cloud computing contribui para que erros no lançamento de faturas ou no controle de estoque sejam rapidamente percebidos e corrigidos. Assim, é possível evitar problemas como falta de materiais e furos no orçamento.

Quais são as vantagens do uso da nuvem para a área de saúde?

A seguir, destacamos os principais benefícios da migração para o cloud computing em um hospital. Acompanhe!

Acesso remoto

Um dos maiores destaques do cloud computing é a possibilidade de acessar os dados do hospital de qualquer lugar, por meio de dispositivos móveis. Quando o assunto é medicina diagnóstica, esse fator é ainda mais importante, devido à rapidez do processo.

No sistema tradicional e ultrapassado, todas as informações relativas ao estabelecimento de saúde ficam armazenadas em um servidor local, como um software instalado em datacenter, e só podem ser visualizadas nesse dispositivo. Já a nova tecnologia de armazenamento em nuvem permite o acesso a partir de qualquer equipamento eletrônico.

Essa vantagem é obtida porque o sistema está hospedado na Internet: basta inserir seu login e sua senha para que gestores e médicos tenham acesso aos dados de que precisam. Isso facilita a gestão do hospital quanto a assuntos como setor financeiro, faturamento e estoque, além do andamento de consultas, com tomadas de decisões cada vez mais rápidas e a aplicação de tratamentos efetivos.

Segurança dos dados

Uma das maiores preocupações dos profissionais da área médica refere-se à segurança das informações do estabelecimento clínico e dos dados dos pacientes. Mas o cloud computing foi desenvolvido para oferecer a segurança e a proteção necessárias.

Esse sistema pode salvar, de maneira automática, todos os dados gerados e realizar backups periódicos. Além disso, a nuvem conta com a proteção de informações por criptografia e pode ter a aplicação de antivírus, firewall e antispyware. Como vantagem extra, não há exposição a danos físicos, como incêndios, enchentes e roubos dos equipamentos ou softwares.

Diminuição de custos

Um hospital que adota um servidor físico precisa investir altas quantias em TI, equipe responsável pela infraestrutura, manutenção e segurança das máquinas utilizadas. Além disso, com o passar do tempo, o modelo se torna cada vez mais obsoleto e dispendioso.

Se a intenção é reduzir custos, a migração para o cloud computing está cada vez mais comum. Isso porque, com a nuvem, os investimentos mensais são bem menores, sem contar que cada hospital pode optar por recursos diferentes e capacidades variáveis de hardware — tudo isso conforme o tamanho e o nível de necessidade do estabelecimento.

Assistência técnica remota

Assim como qualquer tecnologia, o cloud computing também pode apresentar falhas técnicas. Para solucionar o problema, não é necessário que um profissional habilitado se dirija até o hospital: tudo o que ocorrer com o sistema pode ser corrigido de maneira remota pelo próprio fornecedor, que conta com técnicos especialistas em resolver questões como essas.

Como aderir ao cloud computing?

Se o objetivo do hospital é migrar para o cloud computing, é importante que esse processo transcorra de forma lenta e cuidadosa. A melhor opção é aplicar primeiramente uma nuvem híbrida. Sendo assim, os recursos físicos podem continuar em atividade enquanto ainda estiverem em boas condições, ao mesmo tempo em que os primeiros programas em nuvem são instalados.

Assim, todo o ambiente hospitalar tem um período para se adaptar ao novo sistema e, quando ele estiver completamente consolidado, a transição definitiva pode acontecer. Além do mais, os softwares contratados podem ser utilizados até o vencimento de suas licenças e os equipamentos de datacenter não precisam ser descartados de uma vez.

O aconselhável é que você faça um planejamento e inicie essa transição o mais rápido possível, visto que a computação em nuvem é o sistema que vai tomar o lugar dos softwares e sistemas físicos. Assim, o estabelecimento de saúde não ficará para trás da concorrência e poderá, ainda, melhorar sua imagem perante os clientes.

O que é necessário para manter o sistema em segurança?

Para garantir a segurança do cloud computing, é preciso investir em alguns programas que evitam vírus e outros invasores. Entre eles, estão o firewall de data center e de borda, o antivírus e o antispyware. Além disso, ter um programa de backup em nuvem é muito importante para garantir que os dados do hospital sejam salvos periodicamente e recuperados quando preciso.

O cloud computing, portanto, é um aliado que chegou para revolucionar os sistemas de armazenamento e processamento de dados nos hospitais. Com tantas vantagens, já passou da hora de começar o planejamento para aderir ao sistema, não acha?

Dessa forma, é possível melhorar seu controle quanto aos processos administrativos e todas as etapas de atendimento ao público, o que favorece o crescimento, eleva o rendimento e aumenta o número de clientes do hospital.

Gostou do nosso artigo sobre cloud computing? Então, temos certeza de que você também vai querer saber como melhorar o fluxo de laudos em uma clínica. Confira!