Gestão na crise: como a crise obrigou os gestores a se reinventarem

Em períodos de baixa econômica, as empresas enfrentam a redução do consumo e o aumento da competitividade. O cenário desfavorável exige decisões firmes dos gestores, pois é o sucesso da gestão na crise que, muitas vezes, determina a sobrevivência da organização. Nesse contexto, é necessário que as empresas reinventem seus processos e estratégias, de modo a se manterem no mercado de forma competitiva. 

Confira, neste post, a importância do gestor em tempos de crise e os fatores que devem ser revisados para que possam ser obtidos os resultados mais favoráveis possíveis. Boa leitura!

Qual é a importância do gestor em tempos de crise?

Momentos de crise podem ser interpretados como oportunidades para que a empresa otimize os processos e os recursos que utiliza — o que traz benefícios não só momentâneos, mas também futuros. Para que ocorram as melhorias esperadas, é preciso, sobretudo, que haja engajamento por parte dos gestores.

Leia também: Evite imprevistos! Conheça 5 desafios da gestão de clínicas

Afinal, eles precisam tomar as decisões necessárias e adotar medidas coerentes para motivar os colaboradores. Isso faz toda a diferença no enfrentamento das dificuldades apresentadas em uma crise.

Assim, reconsiderar alguns fatores nos diferentes processos da empresa é imprescindível para que os procedimentos gerenciais sejam melhorados e as ações, realizadas de forma apropriada.

Principais fatores a serem reavaliados

Apesar de cada empresa adotar seus próprios processos e identificar em seus domínios o que pode ser reexaminado em momentos de retrocesso econômico, existem algumas atitudes gerais que devem ser levadas em consideração. Veja quais são elas a seguir!

Eliminação de gastos desnecessários

Entre as metas propostas para enfrentar uma crise deve estar a redução de gastos e desperdícios. Essa medida é de extrema importância para que o caixa da empresa mantenha-se saudável e pode, inclusive, envolver dispensas de colaboradores caso o gestor identifique essa necessidade.

Otimização dos processos da empresa

Na crise, os gestores devem estabelecer uma cultura de aperfeiçoamento constante para buscar a otimização dos processos que envolvem a atuação da empresa como um todo. É preciso, então, reavaliar as metodologias de todos os departamentos e setores, para identificar as que possam atrasar o desenvolvimento da companhia e adotar novas ferramentas de gestão.

Aumento da produtividade sem precisar aumentar os investimentos

Estabelecer um nível de produtividade superior ao que a empresa tem é uma boa alternativa para driblar o mau momento financeiro — desde que isso não signifique fazer investimentos.

Por isso, é preciso que seja desenvolvida a produtividade individual dos colaboradores. Isso pode trazer grandes benefícios para os resultados da corporação sem aumentar custos. Estabelecer um melhor controle de qualidade para satisfazer e fidelizar os clientes também é uma boa estratégia.

Identificação de gargalos prejudiciais

Embora algumas ações sejam condizentes com a realidade de grande parte das empresas, cada caso é um caso. Por isso, é preciso analisar profundamente a situação. E é tarefa dos gestores providenciar uma análise e traçar um diagnóstico dos problemas que a empresa enfrenta, de modo a identificar soluções.

Em resumo, momentos de crise podem se tornar extremamente benéficos quando se tem a participação efetiva dos gestores nos processos de forma a transformar as ameaças em oportunidades por meio de planejamentos e ações estratégicas.

Agora que você já sabe a importância de reinventar processos de gestão na crise, saiba como reduzir custos em laudos de exames!