Transformação digital na saúde: como se adaptar à essa tendência?

A transformação digital na saúde proporciona tratamentos mais efetivos, condutas clínicas aprimoradas e resultados animadores do ponto de vista farmacológico, humanístico e econômico.

Além disso, as tecnologias permitiram o avanço do conhecimento científico para áreas longínquas por meio da telemedicina, da padronização de intervenções terapêuticas e da discussão ampla dos casos clínicos em questão.

No entanto, é preciso ter discernimento e aprofundar os saberes em tecnologias úteis, aperfeiçoar o cuidado ao paciente e monitorar os parâmetros biológicos por meio de equipamentos de última geração e com grande poder de sensibilidade e especificidade.

Por isso, se você está interessado na transformação digital na saúde, não deixe de ler este post e saiba como se adaptar a essa realidade! Boa leitura!

Estude as potencialidades das ferramentas

Felizmente, o mundo foi tomado por diversos equipamentos clínicos e aplicativos médicos que podem ser utilizados no cotidiano dos profissionais da saúde de forma não invasiva. Todavia, alguns são desnecessários e pouco práticos para esses profissionais.

Portanto, a primeira recomendação para utilizar os recursos digitais em saúde é conhecer as potencialidades das estratégias tecnológicas inseridas no meio médico e verificar se as vantagens superam as ferramentas empregadas atualmente.

Além disso, é fundamental verificar se essas metodologias estão de acordo com os novos protocolos clínicos ou se existe a possibilidade de atualização dessas plataformas, de modo a não tornar os recursos obsoletos.

Analise o custo-benefício das tecnologias

As ferramentas tecnológicas são constituídas de equipamentos com múltiplas funções e de aplicativos que podem desde medir alterações de glicemia até detectar possíveis focos neoplásicos.

Sendo assim, ao escolher o aplicativo mais condizente com as demandas clínicas, é interessante analisar o custo de implantação e manutenção a longo prazo, visto que essas tecnologias poderão ser adaptadas para diversos aparelhos de comunicação.

Ademais, é necessário avaliar se os benefícios desses dispositivos superam as expectativas do ponto do investimento financeiro, frente a redução de custos que se espera com essa tendência.

Busque sempre conhecimentos atualizados

Alguns profissionais tendem a depender demasiadamente dos softwares clínicos e esquecem que o conhecimento vai além da tecnologia. Esse comportamento pode causar a acomodação do médico e instituir medidas clínicas ultrapassadas.

Em tempos de tecnologia, a transformação digital na saúde deve ser vista como um complemento das condutas clínicas, porém não pode ser o norteador de todas as ações relacionadas ao tratamento.

Dessa forma, a busca de saberes por meio de livros, discussões de casos com colegas de profissão, avaliação detalhada do paciente, fortalecimento da relação terapêutica e tratamento humanizado é uma opção fortemente recomendada para os profissionais.

A transformação digital na saúde é uma tendência inovadora e necessária nos dias de hoje. Para tanto, cabe aos profissionais inseri-la da melhor maneira em seus consultórios clínicos. Dessa forma, é aconselhável escolher as ferramentas mais condizentes à rotina clínica, avaliar os custos dessa implantação e mensurar as vantagens clínicas, econômicas e humanísticas dessas estratégias. Além disso, é fundamental manter conhecimentos científicos atualizados e não depender exclusivamente desse recurso.

E você, o que achou deste texto? Qual é a sua opinião sobre a transformação digital na saúde? Quais aspectos precisam de maior consideração? Comente!