Os 4 principais problemas que o RIS pode solucionar na radiologia

O avanço da tecnologia vem facilitando bastante a rotina de trabalho em clínicas médicas, seja em questões administrativas ou operacionais. O uso do sistema RIS na radiologia é um ótimo exemplo de como procedimentos podem ser simplificados, resultando em um melhor atendimento aos pacientes.

Atualmente é possível, por meio da implantação de sistemas integrados, agilizar processos, desde o agendamento de consultas até a entrega de exames, por exemplo.

Neste contexto, a radiologia, com as suas particularidades, exige uma atenção diferenciada, principalmente por fazer parte, na maioria das vezes, de um ambiente separado, atuando de forma autônoma dentro das clínicas médicas.

Assim, para aperfeiçoar e resolver problemas relacionados a armazenamento, recuperação e distribuição de dados é indicado o uso do sistema RIS na radiologia. Mas você sabe do que se trata? Continue a leitura e entenda!

O que é o sistema RIS

O RIS — do inglês Radiology Information System, ou Sistema de Informações na Radiologia — é um sistema que, basicamente, substitui os processos manuais tornando mais ágil e eficaz todo o procedimento de atendimento de uma clínica de radiologia, desde o agendamento até o diagnóstico e a entrega de laudo ao paciente.

A automatização proposta pelo RIS contribui para a melhoria do fluxo de trabalho, permitindo a integração com outros sistemas, e torna os planejamentos administrativos mais precisos.

Leia também: Sistema RIS na gestão de centros de diagnóstico por imagem

Confira 4 dos principais problemas que o sistema pode resolver no seu centro de diagnóstico por imagem:

1. Demora na entrega dos exames

O tempo para entrega de exames tende a ser menor com a implantação do RIS, porque ele permite que as informações colocadas no sistema sejam atualizadas em tempo real, podendo ser consultadas e extraídas instantaneamente.

O sistema oferece, inclusive, facilidades na visualização de exames antigos ou daqueles realizados em outros setores da clínica, como exames laboratoriais ou de aspecto cardiológico.

2. Dificuldade em manter o banco de dados integrado e atualizado

Manter um banco de dados preciso, aumentando a produtividade da clínica e o grau de satisfação dos clientes, se torna possível com o sistema RIS na radiologia, pois todas as informações ficam armazenadas de forma integrada e podem ser acessadas por médicos e colaboradores de maneira simples, por filtros.

O banco de dados pode ser atualizado em tempo real, o que torna o processo de agendamento e de consulta das agendas, por exemplo, mais dinâmico.

Além disso, com as informações organizadas de forma atualizada e integrada é possível, por exemplo, gerenciar os exames realizados a partir de convênios e planos de saúde, controlando a elegibilidade e as exigências para a sua realização ou, ainda, focar no atendimento a determinado plano.

3. Falta de segurança nas informações

Além de tornar o processo para obter uma informação mais simples e rápido, o sistema oferece maior segurança em relação aos dados armazenados, pois eles são acessados a partir de senhas e não ficam disponíveis de forma física nas clínicas, o que facilita o acesso de terceiros.

4. Acompanhamento de produtividade da equipe

Verificar o rendimento de um determinado setor ou colaborador também fica mais fácil com o sistema. Como as informações são atualizadas em tempo real e podem ser visualizadas de forma simples, é possível checar se a produção diária está sendo constante.

Assim, o sistema RIS na radiologia traz mais agilidade e organização a todos os processos que envolvem o seu negócio, inclusive os referentes à área administrativa. Além disso, o RIS garante maior satisfação por parte dos clientes, devido à agilidade e precisão alcançadas por meio da automatização.

Ficou interessado no uso do sistema RIS na radiologiaEntre em contato com a gente e saiba mais sobre as características e benefícios do sistema!