O software da sua clínica está trazendo retorno? Saiba como identificar

O software da clínica é visto como uma estratégia gerencial interessante para organizar os processos internos, aperfeiçoar os resultados e garantir uma assistência de qualidade aos pacientes. Tudo isso gera uma transformação digital sem precedentes.

No entanto, após a implantação dessa plataforma, alguns gestores percebem ineficácia das funcionalidades, lentidão nas atividades e perda da produtividade. Essa situação causa frustração e arrependimento pela escolha feita anteriormente.

Por isso, se você está insatisfeito com o software utilizado e pensa na troca dessa tecnologia, conheça nossas dicas e avalie a situação.

O software faz rastreabilidade das ações?

Uma das maiores vantagens ao informatizar o sistema de uma instituição de saúde é a garantia de rastreabilidade das atividades. Com isso será possível identificar e responsabilizar os usuários pelas inserções realizadas.

Além disso, a rastreabilidade permite mensurar os serviços prestados para o paciente, os insumos que foram dispensados e o destino final de todas as rotinas dentro do ambiente clínico.

Sendo assim, se o software da clínica não realiza adequadamente essas funções, é preciso pensar em novas estratégias para quantificar as atividades ou verificar a possibilidade de substituição do sistema.

Leia também: Mercado de saúde e tecnologia: descubra o que vem por aí

A plataforma possui acesso remoto?

Em tempo de grandes mudanças na área da saúde e dos conhecimentos científicos, é fundamental conhecer práticas em medicina que sejam inovadoras e eficientes para médicos e pacientes.

Nesse sentido, um sistema informatizado deve conter funções que conciliem dados clínicos e medicamentosos do paciente, de forma a garantir um cuidado integral e humanístico. Além disso, é importante ter ferramentas que facilitem o acesso a essas informações e possibilitem armazenamento na nuvem.

Ademais, o acesso remoto é uma condição essencial para melhorar o atendimento clínico dos médicos. Isso porque a facilidade de resgatar o prontuário do paciente, que está armazenado no servidor privado, em outros computadores, é uma grande vantagem para a relação médico-paciente.

Com isso, as intervenções terapêuticas são feitas mais rapidamente e as alterações nos prontuários ficarão salvas após o uso.

Por isso, softwares que não possuem o acesso remoto devem ser analisados cuidadosamente para verificar se as outras funções apresentadas compensam essa limitação.

O sistema é prático para as atividades?

O sistema informatizado deve ser prático, objetivo e atender às necessidades da rotina implantada. Assim sendo, os serviços precisam contemplar obrigatoriamente a agenda de consultas e quantificação das tarefas.

A agenda de consultas tem que permitir a inserção e edição de dados sociodemográficos do paciente, informações clínicas e o acesso de forma fácil e sem muitas etapas.

Além disso, um software deve fazer levantamentos importantes para a avaliação gerencial, tais como: faturamento dos serviços, nível de absenteísmo, dias da semana mais requisitados, entre outros.

O software da clínica precisa ser pensado para atender as demandas da empresa de saúde. Todavia, na ansiedade por implantar essa tecnologia, muitos gestores descobrem que a plataforma não está condizente com sua realidade. Nesse caso, é necessário reavaliar a eficácia do funcionamento ou optar por novas opções.

E você, está tendo problemas com o seu software? Acredita que não fez a melhor escolha para sua empresa? Então, entre em contato conosco e descubra as ferramentas tecnológicas que nosso sistema pode oferecer!