Medicina humanizada: o que é e como aplicá-la no dia a dia?

A humanização é um conceito que cresceu muito nos últimos anos, na área de saúde, e tende a permanecer dessa forma. Dentro dela, temos a medicina humanizada, que nada mais é do que estabelecer uma relação mais próxima entre o médico e o paciente.

O problema é que muito se fala sobre o atendimento humanizado, mas pouco se faz na prática, apesar de excelentes motivos para fazer isso, especialmente para aqueles que possuem clínicas e hospitais particulares.

O que é medicina humanizada?

Quando um paciente atravessa a porta da clínica, isso significa que ele está com algum problema de saúde ou que, ao menos, suspeita estar. Essa situação já nos mostra a seguinte situação: essa pessoa se encontra em um momento de fragilidade e insegurança, portanto, precisa de amparo.

Por causa disso, a maneira como ela é recepcionada pelos funcionários faz toda a diferença. Só o fato de ter a certeza de que ali existem pessoas que podem ajudá-la nesse momento é de fundamental importância, pois confere uma sensação de maior tranquilidade.

Leia também: Como proporcionar uma experiência incrível para seu paciente?

A humanização foi um projeto implantado no ano 2000 pelo Ministério da Saúde em toda a rede. O objetivo era promover uma nova cultura de atendimento, fazendo com que os profissionais de saúde deixassem de enxergar apenas a doença para enxergar um ser humano. Além disso, esse projeto também tem como objetivo melhorar o atendimento aos pacientes.

É importante lembrar que a medicina humanizada não depende apenas do médico, mas também de toda a equipe que trabalha no atendimento. Assim, desde o segurança ou a recepcionista, todos devem seguir essa linha de pensamento.

Por que a medicina humanizada é importante?

Você quer que os seus pacientes se lembrem de você de uma forma boa, não é mesmo? Quer que eles o vejam como um bom profissional, tão bom que recomendaria para familiares, amigos e conhecidos. Eis aqui, então, um dos pontos importantes de utilizar a medicina humanizada: você fica tendo um diferencial e, assim, passa a melhor impressão possível.

Todos nós queremos ir a um lugar e sermos bem tratados. No caso de consultórios, clínicas e hospitais, isso se torna preponderante, já que se está num momento de fragilidade. Esse acolhimento deve ser bom o bastante para que o paciente possa se sentir bem e amparado.

Como colocar a medicina humanizada em prática?

1. Vá além das questões técnicas

Quando o paciente estiver na sua frente, lembre-se de que ali não existe apenas uma patologia a ser investigada, mas também uma pessoa com emoções que estão à flor da pele nesse momento. Portanto, dê atenção a esse lado emocional.

2. Seja claro

Usar termos técnicos e palavras complicadas para explicar algo ao paciente é perda de tempo. Ele não estudou medicina e não saberá o que quer dizer cada termo, voltará para casa cheio de dúvidas e, provavelmente, numa próxima consulta irá para a concorrência. Portanto, explique tudo e tire todas as dúvidas que ele tiver.

3. Esteja acessível

Dependendo da gravidade do paciente, é sempre bom deixar um canal de comunicação para que ele possa entrar em contato com você a qualquer momento. Além de oferecer maior segurança, isso também aproxima a relação entre médico e paciente.

A medicina humanizada é, sem dúvida, uma prática que veio para ficar e com tendência de crescimento. Afinal de contas, é como oferecer atendimento personalizado, serviços e produtos do tipo estão em amplo crescimento. Oferecer isso aos seus pacientes é estar sempre à frente da concorrência e desenvolver algo que não pode ser copiado: o bom atendimento.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a medicina humanizada? Então, assine a nossa newsletter e fique sempre atualizado sobre as novidades no mundo da saúde.