Medicina digital: como softwares inteligentes ajudam no diagnóstico

Quase todos os setores econômicos passam por uma modernização no sentido de se tornarem mais digitais. Com todos os desafios enfrentados pela área da saúde, não é de estranhar que  seja uma das que mais investem em tecnologia atualmente.

Mas como, de fato, os softwares inteligentes de medicina podem favorecer a obtenção de um diagnóstico preciso?

Essa é uma dúvida recorrente para muitos gestores da área, preocupados com a relação entre o custo dos investimentos e o retorno esperado. Continue a leitura e entenda como esses softwares podem revolucionar o trabalho médico nos próximos anos.

Por que a medicina está cada vez mais digital?

Primeiro, pode-se mencionar o crescimento populacional, que exige atendimento mais rápido e gestão de processos mais eficiente. Além disso, há maior descoberta de novas doenças e tratamentos, que impõem novos desafios.

No entanto, talvez o motivo mais importante seja a demanda dos próprios pacientes por um atendimento mais qualificado e humanizado. As pessoas não só se preocupam mais com a saúde, como também procuram melhores formas de tratamento. Isso gerou um movimento dentro das instituições em direção à humanização e ao uso de novas tecnologias.

Qual a importância desses softwares no diagnóstico?

A medicina diagnóstica é uma das que mais se apoiam no uso de softwares inteligentes. É compreensível, uma vez que diagnósticos precisos são determinantes para o sucesso de um tratamento.

Assim, são usadas diversas tecnologias que permitem melhor visualização de tumores e outras doenças, processam dados de maneira mais rápida ou realizam exames rapidamente. Eles também podem ser usados para o monitoramento e a verificação de resultados de tratamento.

Uma grande vantagem de muitos softwares é que eles podem ser acessados de qualquer lugar ou dispositivo (como tablets e smartphones). Isso favorece o acompanhamento a distância pelos médicos, o compartilhamento de diagnósticos e até o conhecimento da opinião de outro especialista.

Como adotar softwares inteligentes de medicina?

Existem diversos tipos de tecnologia que podem ser aplicados na medicina, alguns já usuais e outros bastante promissores. Veja algumas modalidades:

  • inteligência artificial: robôs podem ser usados para a obtenção de diagnósticos e a recomendação de tratamentos;
  • realidade aumentada: ajuda a visualizar melhor as áreas do corpo a serem investigadas ou operadas. Com uma visão em 3D, o médico pode avaliar a situação de diferentes ângulos;
  • computação cognitiva: processa os dados de forma mais rápida e eficiente, apresentando novas soluções de tratamento. Por exemplo, pode ser usada no sequenciamento de DNA e na identificação de doenças genéticas;
  • nanotecnologia: pequenos dispositivos podem ser inseridos dentro do paciente, fornecendo um diagnóstico mais preciso.

Estes são apenas alguns exemplos de como a tecnologia pode contribuir para a saúde agora e nos próximos anos.

É importante destacar que, antes de adotar softwares inteligentes de medicina, é preciso se certificar da credibilidade e da capacidade de atendimento da empresa responsável. Além disso, os softwares e dispositivos precisam atender às demandas de diagnóstico da sua instituição.