Como a gestão de custos impacta na tomada de decisões clínicas

Quem gerencia ou trabalha em uma clínica sabe que constantemente é preciso tomar decisões. Cada opção reúne um mundo de possibilidades e de consequências negativas e positivas. Para ajudar nesse processo, é essencial a existência de uma gestão de custos eficaz.

Sem esse instrumento, a tomada de decisões se torna uma ação ainda mais difícil do que realmente é. Se você quer diminuir a incerteza na hora de fazer escolhas em sua clínica, esse é o melhor caminho.

Para saber mais sobre o que é gestão de custos e como implementá-la em seu dia a dia, continue lendo o artigo abaixo.

A importância de boas decisões

Antes de tudo, é preciso falar sobre o que implica o processo de tomada de decisões e como a gestão de custos irá ajudar nisso.

A grande questão é que não existe decisão perfeita. Qualquer escolha trará vantagens e desvantagens. Diante dos desafios da gestão de saúde, é preciso se decidir pela melhor opção em cada situação.

É necessário levar em consideração desde o desempenho econômico até a satisfação dos pacientes e dos colaboradores. Uma decisão mal feita pode ter consequências desastrosas.

Ainda, a indecisão por si só já é uma forma de se decidir. Ela pode fazer com que a clínica perca grandes oportunidades por não ter agido na hora certa ou agravar problemas que poderiam ter sido resolvidos logo no início.

O impacto da gestão de custos na tomada de decisões

A gestão de custos vem justamente para dar subsídios à tomada de decisões. Em vez de os gestores da clínica se verem perdidos diante de importantes escolhas, eles terão dados e informações sobre a realidade da instituição que poderão ajudá-los a fazer escolhas.

Uma gestão de custos eficaz também aumenta a agilidade no processo. Elimina-se a necessidade de fazer um estudo sobre algum aspecto a cada novo problema ou oportunidade. Esse conhecimento já existe e está organizado e sistematizado.

Com a gestão, é possível otimizar recursos, alterar processos deficientes, tomar boas decisões e buscar soluções eficazes para problemas. Se mal feita, ela pode trazer resultados negativos inesperados e interferir na produtividade da instituição.

Como aplicar a gestão de custos na prática

A gestão de custos monitora uma série de dados que facilitam o dia a dia do gestor e a tomada de decisões.

Ela implica indicadores de resultados, de processos, de eficiência produtiva e outros mais específicos à realidade das clínicas, como indicadores de agendamento e cancelamento de consultas. A análise dessas informações é essencial e deve fazer parte do controle e do planejamento gerencial.

Dois dos componentes mais importantes dessa modalidade de gestão são o registro e a análise dos custos da clínica. Esses custos podem ser:

  • fixos: o valor permanece o mesmo ainda que se aumente o número de consultas e pacientes. São gastos com infraestrutura e segurança, por exemplo.
  • variáveis: o valor se altera de acordo com a demanda. É o gasto que se tem com materiais de exames, por exemplo.
  • diretos: relacionados diretamente com o serviço final prestado. É o caso do salário dos médicos de uma clínica.
  • indiretos: participam indiretamente do serviço final, mas não são identificados diretamente. É, por exemplo, o gasto com a iluminação de uma sala.

O controle desses gastos auxilia desde a definição da precificação do atendimento até a sobrevivência do próprio negócio. Sabendo-se quanto se gasta, pode-se planejar medidas necessárias como economia e otimização de processos. Também é possível uma tomada de decisões mais sustentável e de acordo com a realidade.

A gestão de custos de uma clínica pode ser feita tanto em uma planilha de fluxo de caixa, como em softwares mais complexos. O importante é manter a disciplina em seu preenchimento e sempre levar essas informações em consideração.

Agora que você já sabe tudo sobre gestão de custos, deixe seu comentário abaixo com dúvidas e sugestões sobre o assunto!