4 dicas para realizar uma pesquisa de satisfação dos pacientes

Certamente, em alguma vez na vida, você já respondeu a alguma pesquisa de satisfação. Seja por e-mail, para avaliar um serviço de compra, seja por telefone após o atendimento do cartão de crédito. Essas perguntas são uma forma que as empresas têm de conhecer um pouco mais sobre o cliente. Mas já pensou em como seria útil fazer uma pesquisa de satisfação dos pacientes no seu consultório ou hospital?

Você pode ter conseguido muitos novos pacientes no último mês, mas sabe se eles estão realmente satisfeitos? Pense em você: se realiza a contratação de um serviço, mas o bom atendimento não é mantido, ir para a concorrência pode ser a solução. O seu paciente pensa da mesma forma!

Então, para que você consiga prestar um melhor serviço de atendimento, realizar a pesquisa de satisfação é uma boa opção. Abaixo, ensinamos como essa pesquisa pode ser feita para te entregar os resultados necessários.

1. Por e-mail

O e-mail ainda é uma ferramenta incrível de comunicação e relacionamento com outras pessoas. Você pode montar, por exemplo, um formulário com respostas objetivas, que é mais rápido. As pessoas só precisam clicar na opção que é compatível com o pensamento e em poucos segundos já estará pronto! O próprio Google oferece uma ferramenta de formulários gratuitos.

Porém, o e-mail apresenta um pequeno problema: nem todo mundo tem, principalmente os pacientes mais idosos. Uma alternativa pode ser imprimir o formulário e aplicar enquanto aguardam atendimento.

2. Caixa de sugestões

Muitas pessoas ficam com receio de responder ao formulário por causa da identificação por e-mail. A caixa de sugestões não tem esse problema: basta escrever ou marcar as alternativas sem que a pessoa precise se identificar.

Você pode deixar uma caneta e um papel em branco perto da caixa ou então colocar os papéis já com as informações e alternativas que você deseja conseguir dos pacientes.

3. Paciente oculto

É uma técnica que consegue oferecer muitas e boas informações para a pesquisa porque não é um papel ou uma ferramenta digital e sim, uma pessoa com emoções, tal qual o seu paciente.

Uma pessoa será contratada para se passar por um paciente. Ela cumprirá os mesmos procedimentos que qualquer outro e, posteriormente, fará a análise de cada setor pelo qual passou. É claro que ninguém deve saber que aquela pessoa não é um paciente de fato, por isso o nome oculto.

Aqui também temos uma pequena falha: a subjetividade. Cada pessoa pensa de maneira diferente e interpreta situações de formas diferentes. O relatório conterá diversas informações de cunho emocional, ainda que seja de respostas objetivas.

4. Softwares

Existem diversas maneiras de incrementar a pesquisa usando a tecnologia. Usar ferramentas de automação para disparar e-mails nos momentos certos ou um SMS logo após o atendimento são boas ferramentas.

O melhor de um software é que ele consegue abarcar os mais diversos dispositivos tecnológicos. Ainda que o paciente não tenha um e-mail ou um smartphone, mesmo o celular mais simples pode receber um SMS ou uma ligação.

Gostou das nossas dicas sobre pesquisa de satisfação dos pacientes? Deixe um comentário e conte pra gente quais ferramentas e estratégias que você utiliza na sua clínica nesses casos!