Saúde e tecnologia: você sabe o que é telemedicina e como usá-la?

A telemedicina é uma área da tecnologia que está desbravando fronteiras e revolucionando a forma como os exames dos pacientes chegam a diversos lugares. É um complemento da medicina tradicional, usado para modernizar e tornar mais rápidos o atendimento e o diagnóstico do paciente, bem como outros procedimentos. Um exemplo disso, é que todos os exames, incluindo os de imagem, são armazenados em um sistema e enviados para diversos lugares em formato digital.

O melhor de tudo é o fato de ser uma rede mundial, totalmente segura (não há risco dos exames irem parar em mãos erradas) e legalizada. Os médicos podem acessar de qualquer lugar todos os exames dos seus pacientes. Não há necessidade de pedir que ele traga os laudos ou tentar entrar em contato com outro médico, algo que pode levar dias para se resolver.

Além disso, pode-se ter acesso a diferentes profissionais no mundo, trocar informações mais rapidamente, obter novos diagnósticos, realizar cirurgias de ponta, fazer treinamentos, entre outras possibilidades.

Como a telemedicina funciona?

A telemedicina se divide em três abordagens principais. Entenda melhor cada uma delas:

Emissão de laudos a distância

Esse é o tipo de serviço que tem mais destaque aqui no Brasil. Os exames são realizados em qualquer parte do país e o laudo é feito pelos melhores especialistas da área com acesso rápido e instantâneo.

entrega de resultados de exames online oferece mais comodidade ao paciente ao disponibilizar os resultados na internet, podendo ser acessado em qualquer lugar. Os próprios médicos também podem receber as análises diretamente nos consultórios. O serviço é atrativo porque facilita a rotina do paciente, que não precisa mais se deslocar para buscar os resultados. Clientes mais satisfeitos acabam retornando para novos exames.

Teleducação

É ideal para aqueles profissionais que moram em locais distantes dos grandes centros e não podem estar em contato contínuo com as novas tecnologias e descobertas do ramo. Por meio de videoconferências, aulas, programas de reciclagem e palestras ocorre a capacitação e maior difusão do conhecimento.

A teleducação é uma forma de educação continuada, que atende às necessidades dos profissionais por atualização, tendo em vista que a área da saúde está em constante evolução. Tem sido um serviço muito oferecido em parcerias entre hospitais, universidades, laboratórios farmacêuticos e outras instituições, com temas generalistas ou bastante específicos.

Teleassistência

Como hoje em dia há uma maior necessidade de se realizar tratamentos à distância, surgiram novas oportunidades. Neste caso, o paciente é monitorado de dentro de seu domicílio ou de um centro de saúde. O profissional responsável consegue se comunicar com outros em lugares distantes para trocar informações sobre o paciente.

Assim, o médico, de maneira remota, pode acrescentar um segundo diagnóstico ou utilizar os atuais sinais e sintomas do paciente para traçar um novo plano de cuidados. Esse tipo de abordagem tem sido usado em casos de pessoas idosas, pacientes terminais e até com doenças raras ou contagiosas.

Quais são as vantagens de se apostar na telemedicina?

Em maior ou menor escala, todas as pessoas envolvidas no sistema de saúde são beneficiadas pela telemedicina. Os pacientes são favorecidos por uma maior segurança nas informações, mais facilidade de acessar resultados de exames e histórico de tratamentos anteriores, além de pouparem muito tempo com deslocamento para realizar consultas e buscar resultados.

Os profissionais de saúde, de modo geral, se beneficiam com a maior possibilidade de atualização e aprendizado, com a otimização da rotina de trabalho, a redução de retrabalhos e danos. A telemedicina facilita a troca de informações, contribuindo para melhores diagnósticos e tratamentos, reduzindo erros médicos e terapêuticos.

Já as instituições podem oferecer um serviço bem mais assertivo, com cirurgias de ponta, exames precisos e um atendimento mais completo, rápido e eficiente. É possível reduzir custos, evitar desperdícios e promover uma maior troca de conhecimento entre os profissionais e outras instituições.

Como funcionam as cirurgias à distância?

Diversas cirurgias só podem ser feitas por poucos médicos especializados, o que dificulta o deslocamento dele. Em outros casos, é o paciente que não pode se locomover, seja por estar em um estado debilitado ou de muita urgência. A telemedicina pode solucionar esses problemas, permitindo a troca de informações entre os profissionais de diferentes locais.

Assim, os médicos presentes podem realizar um procedimento cirúrgico sendo guiados por um especialista, que pode estar em qualquer parte do mundo. Sinais visuais e auditivos são enviados por meio digital para garantir o sucesso da técnica.

Como contratar os serviços de telemedicina?

Existem diversas empresas que oferecem vários tipos de serviços de telemedicina. Veja alguns cuidados antes de contratar:

  • avalie as necessidades da sua instituição e dos colaboradores. Considere também a capacidade necessária, de acordo com a quantidade de pessoas que serão afetadas, e se a empresa contratada pode atender a essa demanda;
  • a telemedicina é uma prática reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina. Mas em resolução, a instituição determinou que seja necessário um responsável técnico para implementação e acompanhamento. Certifique-se de que existam profissionais capacitados para isso;
  • verifique se todos os equipamentos são certificados, funcionam corretamente e qual a data da última revisão ou certificação, quando for o caso;
  • procure por treinamentos de capacitação para os profissionais que farão uso da tecnologia;
  • cobre da empresa contratada toda a documentação legal necessária, desde o alvará de funcionamento até as certificações dos funcionários;
  • acompanhe toda a implementação, fiscalizando e se informando sobre cada detalhe.

Quais são os desafios da telemedicina?

Apesar de tantos benefícios, alguns desafios podem prejudicar a implantação da telemedicina. Algo muito recorrente é a resistência das pessoas ao uso de novas tecnologias com a descrença nos benefícios obtidos. Isso acontece, principalmente, em locais mais remotos e com uma medicina bastante tradicional.

Outro problema é o desconhecimento. Muitos gestores e médicos não sabem quais tecnologias podem funcionar para as suas rotinas, de modo que preferem apenas evitá-las. Alguns médicos e pacientes também acreditam que a melhor forma de realizar um tratamento é pela interação direta entre eles, mesmo que isso seja mais difícil.

Por se tratar de uma coisa relativamente novo, algo que ainda pode provocar estranhamentos é a falta de padronizações e códigos de ética no mundo todo. Mas isso acontece com qualquer nova tecnologia. O mercado e as pessoas precisam de um tempo para se adaptar.

Talvez o maior desafio seja que as instituições e os profissionais ainda acreditam que a telemedicina custa muito caro. Isso não é verdade, uma vez que existem sistemas e dispositivos diferentes para se adequar a diversas realidades. De qualquer modo, é importante destacar que a implementação da telemedicina deve ser realizada de forma gradual, especialmente em cidades menores. Assim se permite uma melhor adaptação e dilui os custos ao longo do tempo.

O fato é que a telemedicina realmente traz grandes melhorias para a área da saúde. A rapidez que ela oferece em casos de urgência pode até salvar uma vida. Há ainda sérios debates sobre o assunto, mas certamente é uma tecnologia que tem muitos benefícios a oferecer.